As produções imitam a vida real, ou como Oscar Wilde diria, a vida imita a arte. Os personagens brindam para mostrar felicidade e euforia, abusam das substâncias para demonstrar poder ou tristeza; perda de controle. Esse consumo é muito importante na obra para entendermos o personagem, o estado e condição que se encontra. Diante disso, vem a curiosidade – o que eles consomem nos sets de filmagens? [via Superinteressante].

Na década de 80, usava-se leite em pó e bicarbonato de sódio. Atualmente, a droga fake é pó de vitamina B (inositol), que coincidentemente, também proporciona aumento na energia. Outras opções eram fermento, farinha de trigo e açúcar de confeiteiro, todas são bem incomodas. Inalar soro fisiológico em pó, está entre o método menos desagradável. Os atores passam por uma “degustação” antes da cena para que eles avaliem como se sentem com cada substância.

A droga fake já rendeu muitos assuntos nos bastidores. No clássico Scarface (1983) Al Pacino, divulgou que inalar o pó alternativo prejudicou suas vias nasais pelos anos seguintes (também, ali não foi brincadeira né, risos). Mickey Rourke teve um leve pânico em O Lutador (2008), ao descobrir que havia aspirado inositol. O ator tinha problemas de ansiedade e temia que a vitamina pudesse ser um gatilho.

As drogas legais no set também são simuladas. O Uísque é água com chá-mate, o champanhe é água com gás e guaraná, e vinho é suco de uva. Os cigarros de atores não fumantes são recheados com artemísia e camomila, colocados nos mesmos invólucros dos cigarros comuns.

Para completar, remédios em cápsula, são cápsulas vazias e balinhas são comprimidos. Muitas dessas drogas cenográficas, são placebo de farmácias de manipulação, ou são produzidos por profissionais especializados em criar em esses produtos falsos, chamados “aderecistas” (da palavra “adereço”).