A 1ª temporada de The Flash surpreendeu crítica e público, apresentando um protagonista carismático e uma trama dinâmica, cheia de momentos especiais e fanservice para os leitores dos HQs.

Logo, o segundo ano foi cercado por muita expectativa, principalmente pela aguardada conexão com a Terra-2. Dessa vez, Barry Allen (Grant Gustin) precisou lidar com as consequências da singularidade, como a chegada de outro Flash, Jay Garrick (Teddy Sears), e a ameaça do vilão Zoom (Teddy Sears com a voz de Tony Todd).

Com a chegada de Zoom, foram inúmeros momentos de suspense e tensão ao longo da 2ª temporada. O vilão aterrorizou os heróis de maneiras diferentes ao longo do segundo ano, mas sua crueldade foi de fato comprovado na reta final, quando sua história começou a ser revelada pouco a pouco. A ideia de dar uma origem parecida para o herói e seu nêmesis não é nova, mas serviu perfeitamente para a trama da temporada. O perverso Hunter Zolomon (Teddy Sears) tem apenas um objetivo: causar pânico e trazer dor à vida das pessoas como uma forma de equipará-las àquilo que ele passou quando criança.

O curioso é que tudo visto até agora pode mudar drasticamente. O motivo? A chocante cena final da temporada. Apesar de não ser uma finale tão impactante quanto a primeira, só esta determinada sequência deve colocar toda a história de Barry Allen sobre uma nova perspectiva pode criar um novo arco na série e em outras também como por exemplo Arrow. Uma jogada ousada dos produtores. Enquanto só resta esperar a próxima temporada, é inegável perceber que a qualidade de The Flash até caiu, mas o show segue um prato cheio para os fãs do gênero.

Apesar de ter mantido praticamente o mesmo arco de seu primeiro ano, The Flash acertou em causar o Flashpoint, decisão que pode trazer boas notícias para a série, resolvendo alguns problemas que a emissora encontraria depois de ter adquirido a série da Supergirl.

Que venha o 3ª Ano de The Flash