Em meio ao caos do confinamento, embora a obra possa ser facilmente interpretada como um retrato poético do momento atual, talvez seja melhor encarada como uma prece. Aos céticos, talvez seja até difícil acreditar que fora composta já há alguns anos, por Labaq, mas mesmo para estes, é improvável que a canção não soe como um afago para os tempos de agora.“Quiçá”, produção complexa e imersiva, lançada pela A Banda Mais Bonita da Cidade na última sexta-feira (01). [via Pangea]

Não se trata apenas de uma letra derivada do otimismo, mas de uma experiência sensorial que, para Uyara Torrente – vocalista da banda, abraça o ouvinte de alguma maneira. “Acho que há coisas muito simples na letra e coisas muito poderosas também. E acho que é um momento de revisitar esse simples, até contra a nossa vontade, porque ninguém queria estar em casa. Mas a coisa da pandemia e do isolamento tem nos estimulado a novas percepções de questões banalizados na correria do dia a dia.”

Ouça Quiçá:

O responsável pela mixagem da música, o curitibano Guigo Berger, detalhou o processo atípico em uma conversa com a Pangea. Para se aprofundar um pouco mais nos detalhes técnicos confira abaixo: