George R.R. Martin, criador da série literária As Crônicas de Gelo e Fogo, criticou a mudança da cena da noite de núpcias de Daenerys e Khal Drogo em Game of Thrones, adaptação televisiva da HBO. Em depoimento ao livro Fire Cannot Kill a Dragon, que conta os bastidores da série, Martin afirma não ter entendido como o momento de “sedução consensual foi mudado para o estupro brutal de Emilia Clarke” [via IndieWire].

Para o autor, a mudança “deixou a cena pior, não melhor” e nunca foi discutida com DB Weiss e David Benioff. Na cena original, Drogo tenta acalmar Daenerys após seu casamento arranjado e espera permissão para tocá-la antes dos dois transarem. Na série, o personagem vivido por Jason Momoa claramente força sua nova esposa em um momento que, mesmo anos depois, ainda choca fãs.

“Temos uma menina absolutamente aterrorizada por esse bárbaro que foi obrigada a se casar, [sexo] é a última coisa que ela quer e, ainda assim, no final da sua noite de núpcias, eles têm uma relação sexual feliz”, argumentou Benioff. “Isso não funcionava para nós”. Concordando com o colega, Weiss afirmou que Clarke concordou com as mudanças na cena.

A HBO está trabalhando em House of the Dragon, a primeira série derivada de Game of Thrones. Inspirada no livro Fogo & Sangue, a produção acontece 300 anos antes dos eventos da primeira temporada da série original e será focada na Casa Targaryen.

Game of Thrones teve oito temporadas, exibidas entre 2011 e 2019, e está disponível no HBO Go.