O compositor Ennio Morricone, conhecido por trilhas sonoras clássicas como a de Três Homens em Conflito, faleceu aos 91 anos, nesta segunda-feira (6). Morricone morreu em uma clínica em Roma, na Itália, para onde foi levado depois de sofrer uma queda e fraturar o quadril, de acordo com a Variety.

O maestro e compositor italiano criou cerca de 500 trilhas sonoras para o cinema e para a TV e foi indicado ao Oscar seis vezes, pelos longas Cinzas no Paraíso, A Missão, Os Intocáveis, Quando as Metralhadoras Cospem e Os Oito Odiados, levando a estatueta por este último.

Em 2006, porém, recebeu da Academia do Oscar um prêmio honorário pela sua carreira. Morricone foi o segundo compositor da história a ser reconhecido desta maneira pela instituição.

Nos seus mais de 50 anos de carreira, Morricone compôs muito para Westerns. Na realidade, acredita-se que ele tenha quebrado o recorde tamanha a quantidade de filmes do gênero com os quais se envolveu. Além do já mencionado Três Homens em Conflito, destaca-se também Era uma Vez no Oeste.

Desde os anos 1960, o compositor trabalhou com importantes nomes do cinema, como Sergio Leone, Terence Malick, William Friedkin, Brian De Palma e Roman Polanski. Antes de trabalhar com Morricone em Os Oito Odiados, Quentin Tarantino também incluiu faixas obscuras do maestro em longas como Kill Bill e Bastardos Inglórios, algo que não agradava Morricone. Porém, as reclamações do compositor eventualmente o levaram a colaborar com o diretor.

Morricone deixa a esposa e quatro filhos.