O movimento Black Lives Matter vem protestado contra a violência policial e abordagem abusiva de agentes contra cidadãos negros nos Estados Unidos e, após receber grande atenção da mídia, começa a influenciar o retrato da polícia na TV. Enquanto os realities Cops e Live PD foram cancelados depois de anos no ar, Brooklyn Nine-Nine descartou roteiros de quatro de seus episódios de sua oitava temporada para escrever capítulos que abordem melhor o momento do país (via TV Guide).

Segundo Terry Crews, a equipe de roteiristas liderada pelo showrunner Dan Goor ainda não sabe que direção seguir, embora ele não veja isso como algo ruim. “Nós tivemos papos sérios e conversas profundas e esperamos que isso nos leve a fazer algo realmente inovador. Temos uma oportunidade e queremos usá-la da melhor maneira possível”.

Em um de seus episódios anteriores, Brooklyn Nine-Nine chegou a abordar o racismo praticado pela polícia em que Terry, o personagem de Crews, foi alvo da ação abusiva de um outro policial. Na entrevista em que falou sobre a mudança de planos do novo ano, o ator comentou sobre casos parecidos que enfrentou antes da fama. “Policiais de Los Angeles apontavam armas para a minha cara. Isso era antes de eu ser famoso”, disse o astro. “Isso é algo que todo negro já passou e é difícil fazer outras pessoas entenderem”.

Tocar em assuntos mais sérios não é uma novidade para Brooklyn Nine-Nine. Em 2017, o episódio “Moo Moo”, da quarta temporada, abordou problemas raciais e violência policial, enquanto “He Said, She Said”, do sexto ano, falou sobre abuso sexual no ambiente de trabalho.

Estrelada por Andy SambergJoe Lo TruglioDirk BlockerStephanie Beatriz, TerryCrews, Melissa FumeroAndre BraugherJoel McKinnon Miller, a série mostra o dia a dia da 99ª delegacia de polícia do Brooklyn. A produção foi cancelada anteriormente pela Fox, mas foi salva pela NBC após uma grande campanha dos fãs nas redes sociais.