Kesha fez uma performance incrível ontem (28) durante o Grammy, a música escolhida foi “Praying” e ao lado dela as cantoras Cyndi Lauper, Camila Cabello, Julia Michaels e Andra Day também subiram ao palco.

Conheça os vencedores da 60ª edição do Grammy

Durante a apresentação, os cantores homenagearam o movimento #MeToo enquanto cantavam diante de um coro de mulheres vestidas de branco. Kesha, que se emociounou ao longo da performance, ficou no palco central enquanto Lauper, Cabello, Michaels e Day ficavam de cada lado dela. O poderoso conjunto terminou quando Kesha foi abraçada no palco pelo grupo de mulheres.

Janelle Monae apresentou a performance com um discurso empoderado sobre a importância da iniciativa Time’s Up.

https://youtu.be/ZrhKHytNLqY

‘Para aqueles que ousaram tentar nos silenciar, temos duas palavras para eles: esse tempo acabou. E falamos do tempo da desigualdade salarial, o tempo da discriminação, o tempo do assédio de qualquer tipo e do abuso de poder. Porque isto não está a acontecer apenas em Hollywood, não está a acontecer apenas em Washington. Está aqui, na nossa indústria [musical]. E se temos o poder de agitar a cultura, também temos o poder de desfazer a cultura que não nos serve bem’, disse a cantora.

A performance de Kesha vem em meio a sua prolongada batalha judicial com o produtor Lukasz “Dr. Luke” Gottwald, que ela acusa de abuso sexual. Como parte do processo de 2014, a cantora pediu ao tribunal que quebrasse seu contrato com o Kemosabe Records do produtor, mas enfrentou uma série de contratempos legais. O produtor negou as alegações da cantora.

‘Esta música é sobre vir a sentir empatia por outra pessoa, mesmo que eles te machuquem ou assustem. É uma música sobre aprender a se orgulhar da pessoa que você é mesmo estando em momentos baixos e se sentindo sozinho. Também é sobre a esperança de todos, mesmo alguém que te machucar’, disse ela.