Brandon Flynn, Alisha Boe bateram um papo com a V Magazine e revelaram como foi trabalhar em uma das séries de maior sucesso da Netflix, 13 Reasons Why.

Alisha Boe

Como você ficou sabendo sobre o projeto e por que se interessou por ele?

Eu li 13 Reasons Why quando estava no ensino médio e a história realmente mexeu comigo. Isso me fez perceber que há um efeito dominó para tudo. Quando eu comecei a audição para o show, eu estava tão animada por ter a oportunidade de fazer parte de uma história importante.

Selena Gomez é alguém que tem sido tão aberta sobre sua saúde mental. Como é com ela sendo produtora do projeto?

Eu admiro Selena por ser transparente sobre seus problemas de saúde mental e como ela usa sua influencia para iniciar uma conversa e levantar o estigma sobre a saúde mental. Ela é verdadeiramente apaixonada pela série e ela acredita na mensagem por trás disso tudo. Foi um prazer trabalhar com ela.

Quais são algumas das maiores semelhanças e diferenças entre você e seu personagem?

Eu me relaciono mais com a resiliência de Jessica. Eu diria que a nossa maior diferença é que eu nunca tive um namorado na escola.

Qual foi a sua parte favorita ao filmar a série?

Meu primeiro dia no set foi com Katherine [Langford] e Miles [Heizer] fazendo nossas cenas FML. É provavelmente a minha memória favorita, porque foi uma boa introdução à filmagem da série.

Assim que a série estreou todos estavam falando sobre isso. Você ficou surpresa com a resposta?

Eu sabia que iria dar certor por causa da quantidade enorme de fãs que o livro já tem, mas eu não tinha ideia que ia ser tão grande! Foi definitivamente emocionante ver quão rapidamente as pessoas responderam a ele.

A preparação foi diferente para esse papel em relação a outros projetos dos quais você fez parte e, em caso afirmativo, por quê?

Eu fiz um monte de pesquisa quando estava me preparando para a Jessica. Os produtores se certificaram de que eu tinha recursos suficientes para me educar sobre os sobreviventes de estupro. Consegui falar com Rebecca Kaplan de It’s On Us e um psiquiatra que lida especificamente com sobreviventes de estupro.

O que você gostaria de ver na segunda temporada?

Eu adoraria ver o caminho de Jessica para a recuperação e justiça para Hannah.

Brandon Flynn

Como você ficou sabendo sobre o projeto e por que se interessou por ele?

Meus agentes me enviaram o roteiro para o primeiro episódio. Eu tinha acabado de me graduar, talvez dois ou três meses. Eu pensei que a história era realmente importante e a dramatização de Brian Yorkey do livro foi escrita tão bem.

13 Reasons Why fala sobre suicídio na adolescência, isso sem mencionar o abuso de drogas, depressão e agressão sexual. Como foi lidar com assuntos tão pesados?

A série trata de um monte de conteúdo que eu acho que ainda consideramos tabu, acho que se torna ainda mais tabu quando discutimos uma geração mais jovem abordando situações como abuso de drogas, estupro e suicídio. É uma responsabilidade lidar com esses assuntos em qualquer forma de arte; Os episódios foram muito bem escritos, e a dificuldade foi ter certeza de que cuidamos de nós mesmos no processo de filmagem. Mas no geral, essas histórias eram tão familiares às minhas experiências como um jovem. Eu vi um monte de coisas mesmas acontecendo com pessoas que eu conhecia muito bem.

Como foi trabalhar com a produtora Selena Gomez?

Selena Gomez é uma bela pessoa. Ela compartilha muito de si mesma e eu acho que ajuda um monte de gente lá fora a lidar com as mesmas coisas. Ela está muito ocupada, então minhas interações com ela durante as filmagens foram limitadas, mas sua generosidade e paixão estão muito vivas no projeto, e isso foi muito importante para muitos de nós!

Quais são algumas das maiores semelhanças e diferenças entre você e seu personagem?

Justin Foley e eu temos muitas semelhanças e muitas diferenças. Eu acho que é a minha parte favorita de ser um ator, você começa a se ver em tantos tipos de pessoas. Justin é um ator também, ele usa uma máscara na escola que é muito diferente do que ele tem que usar em casa. Essa era uma conexão realmente poderosa entre nós, acho que muita gente se conectaria a isso. A maior diferença entre nós, e algo que era realmente complicado de jogar na cena, [é que] eu nunca deixaria Jessica ser estuprada. Eu comecei a entender os motivos de Justin, mas eu sempre vou segurar isso contra ele.

Qual foi a sua parte favorita ao filmar a série?

O primeiro episódio foi tão divertido de filmar! Havia uma energia grande, nova e vibrante entre todos. Porque era o começo da história de Hannah, era brilhante e jovem.

O que você achou sobre a repercussão da série?

Eu sou tão grato por ser parte de uma série como esta… Eu não acho que eu esperava que a resposta acontecesse de maneira tão rápida, mas hey, eu não estou reclamando. Eu sei que há controvérsia por trás da série e eu acho que é ótimo, tão grande quanto o amor que as pessoas têm por ela. Acho que você sabe que está fazendo algo importante quando as pessoas têm problemas com isso.

Como você se preparou para seu papel?

Minha preparação evolui com a forma como evoluo como pessoa, mas também com cada projeto individual. É arte, não ciência… há tantas maneiras e nenhuma fórmula para a perfeição! O trabalho que entrou em 13 Reasons Why era muito mais pessoal do que alguns outros projetos, porque a história era tão poderosa e eu senti como se eu tivesse nada mais a fazer, mas mergulhar com todas as minhas experiências pessoais.

Por que você acha que essa é uma história importante para contar?

Acho que essa história é feia, e isso faz com que as pessoas a questionem. Mas vivemos em uma história feia. O que acontece entre estes adolescentes é algo increivelmente comum em (eu ouso dizer) muitos colégios. Temos de saber que as coisas que fazemos podem afetar muitas vidas ao nosso redor, e temos que fazer coisas melhores para impactar as pessoas de maneiras melhores.

O que você gostaria de ver na segunda temporada?

Quero ver justiça para Hannah e Jessica. Quero ver como esses jovens crescem.