Shawn Mendes concedeu uma entrevista para a revista Rolling Stone, na qual falou sobre Justin Bieber, Kanye West e seu suposto caso com a modelo Hailey Baldwin.

Ele também falou sobre como é pra ele não poder beber nos Estados Unidos e como isso prejudica sua relação social com os amigos. Confira abaixo trechos da entrevista.

“Eu bebo horrores quando vou para casa. Só não bebo na América. Tenho tudo isso quando vou para casa. Eu amo centeio e gengibre. Mas eu tenho que me segurar, porque não fazem eu me sentir bem no dia seguinte, então comecei a beber tequila, que é melhor. Também bebo Don Julio ou Casamigos”, contou.

“Não acho frustrante porque eu me importo com álcool. Eu me importo com o momento com os amigos nos bares. Tenho sido privado dessa experiência social, não do comportamento alcoólico. Eu gostaria que fosse permitido ir aos bares e tomar refrigerante, porque eu ao menos estaria lá com todo mundo e não teria que ficar no meu hotel enquanto todos estão no bar”. Ele ainda opinou sobre qual idade ser permitido beber nos EUA: “Acho que 18 anos é uma ótima ideia, porque quando você está em Londres todos parecem muito maduros aos 20. Mas na América tem essa pressão que cresce dentro de você – de precisar ir ao bar – e quando você chega aos 21, quando já é um adulto completo, você explode. Eu sinto que muitas doideiras acontecem com as pessoas quando saem pela primeira vez, e não seria assim se pudessem entrar nos lugares mais novas. Talvez não estivessem tão tentadas a saírem dos trilhos”.

Shawn Mendes: The Album | A grandiosidade de um artista demonstrada em um álbum

E ao ser questionado sobre comparações com Justin Bieber, o que era muito forte no começo de sua carreira, ele disse: “Uma coisa que as pessoas não devem saber sobre mim é o quanto eu admiro Bieber. Eu acho que nunca disse verdadeiramente o quanto ele foi minha principal inspiração para o que eu quis fazer. Eu aprendi todas suas músicas de coração. Ele me ensinou como tocar e cantar. Cada vez que alguém me compara a ele eu sempre digo: ‘é o maior elogio que você poderia me fazer'”.

Ao ser questionado sobre sua opinião em relação a Kenye West ele revelou: “Sua criatividade é o mais inspirador para mim, cara. Sua habilidade de não ter medo de dizer o que quer. Eu acho que muitas pessoas fazem música baseadas no que está funcionando, e ele é alguem que faz música na qual as pessoas vão se basear. Isso é inspirador. Obviamente, há muitas coisas que discordo do que ele diz. Mas eu não sei o suficiente sobre a situação política atual para ter uma opinião própria. Mas, como artista, não largo Kanye West. Acho que ele é um grande artista e sempre será para mim. Suas visões e opiniões políticas e emocionais são dele. Não tem a ver comigo. Quero dizer, obviamente ele disse muitas besteiras, das quais discordo como todo mundo, mas na maior parte ele ainda é um ótimo artista e alguém que eu admiro como musicista”.

E por fim, ele contou sobre seu relacionamento com a modelo Hailey Baldwin. “Não estou ficando com Hailey. Somos realmente bons amigos, honestamente. Eu a conheci por meio de amigos em comum e ela é super calma, super pé no chão, e alguém que realmente entende as pessoas, trabalha muito duro e mantém sua relação com as pessoas de um jeito realmente inspirador. Então somos grandes amigos, honestamente”.