O aguardado Pantera Negra chegou aos cinemas, e como era de se esperar seguiu os padrões MARVEL de produzir, mas com certeza uma coisa difere Pantera Negra de todos os outros filmes produzidos até agora do Universo Cinematográfico da Marvel: a narrativa.

O longa não é o melhor deste universo, mas se consolida ali no top 5, talvez. Cinematograficamente falando o filme esta impecável, suas cenas de ação são muito bem produzidas, mesmo tendo certo exagero de câmera tremida algumas vezes, e o elenco está sensacional. Os figurinos, e todo design de produção são dignos de ser vistos em uma sala de cinema na melhor tela possível.

O grande acerto do filme foi com certeza sua narrativa que fugiu dos padrões que na maior parte das vezes ‘é quando um herói parte em uma grande missão pra salvar pessoas, uma nação ou alguém’; neste conhecemos um Rei, que por consequência acaba se tornando mais um herói do que um rei. A história nos apresenta uma guerra politica que reflete e muito no que estamos vivendo hoje, principalmente os Estados Unidos. E pela primeira vez, em termos de grandeza, somos apresentados de forma espetacular e diferente à cultura africana, o que é muito bom para a industria cinematográfica e para as pessoas que estão sendo representadas no filme. A riqueza que esta cultura possui é representada de forma que deixa qualquer um mais orgulhoso e mais feliz por fazer parte desta cultura.

Pantera Negra consegue sem duvidas entregar o que é esperado e felizmente vai muito além. É importante lembrar que o filme é entretenimento, mas também é um meio para discutirmos o que esta acontecendo ao redor do mundo, o que esta acontecendo além da sua bolha social. Se você é daqueles que acha que os filmes da MARVEL são só piadas e não precisava pensar muito pra entender, talvez tenha que pular este.

Pode não ser o melhor filme da MARVEL, mas com certeza é o melhor filme para o momento em que vivemos.

Após a morte do rei T’Chaka (John Kani), o príncipe T’Challa (Chadwick Boseman) retorna a Wakanda para a cerimônia de coroação. Nela são reunidas as cinco tribos que compõem o reino, sendo que uma delas, os Jabari, não apoia o atual governo. T’Challa logo recebe o apoio de Okoye (Danai Gurira), a chefe da guarda de Wakanda, da irmã Shuri (Laetitia Wright), que coordena a área tecnológica do reino, e também de Nakia (Lupita Nyong’o), a grande paixão do atual Pantera Negra, que não quer se tornar rainha. Juntos, eles estão à procura de Ulysses Klaue (Andy Serkis), que roubou de Wakanda um punhado de vibranium, alguns anos atrás.

Pantera Negra já esta em cartaz e possui duas cenas pós créditos.