Chega aos cinemas na próxima semana o segundo filme da franquia Kingsman, desta vez com o subtitulo de Circulo Dourado. A expectativa é grande devido ao sucesso inesperado do primeiro, e nós já vimos. Descubra o que achamos de Kingsman – O Circulo Dourado abaixo!

Sem Spoilers

Kingsman é uma adaptação para as telonas dos quadrinhos de mesmo nome de Dave Gibbons e Mark Millar, o primeiro filme foi lançado em 2015 e sua premissa é: durante uma incursão no Oriente Médio em 1997, um agente secreto em estágio se sacrifica para salvar sua equipe. Culpado de si próprio, Harry Hart, com o nome de código “Galahad”, entrega uma medalha de valor à viúva do agente, Michelle Unwin, e seu filho, Gary “Eggsy”, dizendo para ligar se alguma vez precisar de ajuda, (Que é a data em que o agente morre) no verso da medalha.

Circulo Dourado continua acompanhando o agente Eggsy (interpretado pelo carismático Taron Egerton) que desta vez tem que lidar com um ataque ao quartel general da Kingsman que acaba afetando grande parte da equipe, mas para lidar com toda a situação ele precisa buscar ajuda, e a ajuda vem da agencia Statesman, uma agencia americana.

A vilã da vez é a traficante Poppy (Julianne Moore), responsável pelo ataque à agencia e grande ameaça a humanidade e chefe da Circulo Dourado. Uma vila tipica e caricata. Assim que Eggsy e Merlin (Mark Strong) percebe a real ameaça vindo de Poppy ele parte em uma missão para descobrir mais sobre ela e acaba parando em Kentucky onde descobre a agencia Statesman. Por lá novos personagens são apresentados, como o Agente Tequila (por Channing Tatum), e Ginger (Halle Berry), juntos eles formam a mais divertida equipe de espiões que eu já vi no cinema e então partem para a missão de descobrir quais os reais planos de Poppy e o Circulo Dourado.

Kingsman é um filme que diverte e entrega o que promete: ação e uma boa história de espiões e vilões. E, não precisa reinventar pra se destacar porque tem: um bom elenco, uma boa direção, uma narrativa clara e roteiro descomplicado. Por mais clichê que seja a história apresentada ela foi apresentada de uma maneira bem construída o que faz com que o filme se destaque entre os grandes lançamentos do gênero deste ano. Isso sem contar as cenas bem elaboradas, o que foi o grande destaque do primeiro longa e agora também neste.

O diretor, Matthew Vaughn (que também dirigiu o primeiro) com certeza acertou em cheio quando se preocupou não só com uma boa fotografia, mas também com cenas bem construídas (oi CGI, mas não podemos negar que sim, ficaram legais) no quesito coreografia.

O que talvez tenha falhado neste segundo foi como foram tratados alguns personagens importantes, alguns acontecimentos poderiam ter tido mais atenção e talvez o lado mais exagerado do filme e sua velocidade com que as coisas acontecem de a impressão de que os personagens são descartáveis ou sem valor.

E por falar em exagero, sim Kingsman é um filme exagerado, mas um exagerado consciente e não gratuito e sem nexo. Comparando com lançamentos recentes: Atômica, um filme do mesmo gênero, conseguiu se consolidar como um dos melhores do ano entregando um filme sério e sombrio. Kingsman – O Circulo Dourado não fica atrás e entrega um filme bom, divertido e sem fugir do seu gênero: ação.

E além de tudo isso temos a participação hilaria de Elton John na história, tenho certeza que muitas risadas serão garantidas por parte dele durante sua sessão.

Veja Kingsman, é um filme para se ver NO cinema! Dia 28 de setembro.