O resgate de um time de futebol de meninos tailandeses e seu técnico em um complexo de cavernas inundado na Tailândia ganhou noticiários de todo o mundo e a história pode virar filme em Hollywood.

O drama, que teve final feliz, é considerado um roteiro perfeito para ir às telonas. Segundo o New York Times, produtores norte-americanos já estão no local negociando direitos para levar a história para o cinema.

A PureFlix, estúdio especializado em filmes cristãos e familiares, é uma das interessadas. O co-fundador da empresa, Michael Scott, que vive no país, disse que ficou cativado pela história, principalmente porque a esposa dele cresceu com o ex-mergulhador da marinha tailandesa que morreu durante a missão.

O resgate também poderia atrair o interesse das redes de TV, o que forneceria um caminho mais rápido para as telas.

Na televisão americana, a ABC já exibiu uma edição especial do programa 20/20 focada na missão, e o Discovery Channel anunciou que irá ao ar um documentário de uma hora na próxima sexta-feira (12).

No entanto, agentes do cinema americano divergem sobre se existirá interesse pela história no futuro, já que um filme baseado em fatos reais como esse levaria anos para ser feito. E nada garantiria o sucesso nas bilheterias também. Tragédias que geraram filmes anteriormente se transformaeam em fracassos.

Um exemplo é Os 33, sobre os mineiros presos numa caverna chilena em 2010. Lançado cinco anos depois do incidente com um elenco integrado por Antonio Banderas, Rodrigo Santoro e Juliette Binoche, o filme teve bilheteria irrelevante. O orçamento ficou na casa dos US$ 25 milhões, enquanto os lucros superaram só em US$ 1 milhão esse número.

Mike Medavoy, produtor indicado ao Oscar que trabalhou em Os 33, disse ao NYT, que acredita no potencial dessa história, apesar de tudo.

— É sobre os triunfos de indivíduos e grupos de seres humanos sobre a tragédia. É uma ótima história.

Do R7