O livro conta a história de duas personagens muito diferentes uma da outra. Narrado em primeira pessoa e capítulos que se alternam entre Nastya Kashnikov, uma garota russa de 17 anos bem enigmática e Josh Bennett, um rapaz educado, apaixonado por marcenaria, cuja história de vida não é segredo para ninguém.

Nastya é uma pianista prodígio que sofreu um terrível acidente, mudou de cidade e colégio, e a única coisa que ela quer é terminar os estudos sem que ninguém descubra absolutamente nada sobre seu passado. Mas apesar de querer passar despercebida, ela chama a atenção de todos ao seu redor devido à sua aparência, tem a personalidade forte e é dona de um humor ácido que chega a doer! Mas a parte mais interessante sobre Nastya, é que ela NÃO FALA. E ainda assim, consegue ser uma garota que se destaca em qualquer multidão. Sem dúvidas é peculiar.

Enquanto Josh é um garoto introspectivo, que vive sozinho na casa deixada por seu avô, pois toda a sua família, por algum motivo, já se foi. Ele também tem 17 anos e tudo o que ele quer é ser deixado em paz. Ao longo da trama, Josh se vê atraído pela personalidade ímpar de Nastya. E seu amigo Drew, o garanhão de toda a história, tem culpa no cartório. Drew, na tentativa de conquistar a garota nova e misteriosa do colégio, construiu, sem querer, uma ponte para que Josh e Nastya pudessem se aproximar cada vez mais.

E é aí que tudo começa a ficar mais interessante, num misto de diversão e tensão emocional. Ambos tentando compreender o outro e a si mesmos. Porém, Josh não tem tanta certeza se deve se envolver tanto com o mundo de Nastya, com receio de descobrir o que há de tão perturbador em seu passado. Ao longo do romance, um vai se tornando o porto seguro do outro, tentando deixar o passado no passado e a seguir a vida como ela deve ser seguida. Sem muitas palavras, com pitadas de bom humor, mistério, romance e situações inusitadas.

Você pode estar pensando “hum, mais uma história de amor adolescente clichê e blá blá blá”. NÃO! Se você pensou isso (assim como eu pensei), desista dessa ideia e leia, você vai se surpreender. O livro sim, tem tudo pra ser “só mais uma histórinha”, porém, a autora sabia o que estava fazendo em cada página, a narrativa é ótima, o desfecho surpreende, tudo devidamente calculado, a história não tem pontas soltas. Katja sabe expressar um sentimento com poucas e impactantes palavras. Isso me atraiu muito em todo o livro. É lindo.

Katja Millay (carinhosamente falando) uma “caloura” no mundo da literatura, autora desse maravilhoso New Adult que é sua primeira obra, publicada em 2013, (e que já chegou lacrando, pois foi eleito um dos melhores títulos de ficção pela School Library Journal, uma revista mensal estadunidense, em 2013), consegue envolver o leitor, cativá-lo e fazê-lo ter muita empatia com suas personagens muito bem construídas e seu bom humor que é evidente a cada página lida, e também pela grande habilidade de deixar o leitor, juntamente com as personagens, cada vez mais curioso e submerso numa leitura super gostosa e ao mesmo tempo intensa e rodeada de segredos.

Resenha por: Bruna Modesto

Para ler mais como essa, visite http://literavivo.wix.com/blog