Chega aos cinemas nesta quinta (dia 15) o filme Maria Madalena, dirigido por Garth Davis e que mostra a vida sofrida de Maria Madalena (Rooney Mara), considerada por séculos prostituta e pecadora.

Emocionante e encantador

O longa retrata a personagem de forma não vista ainda nas telas. Em 2016, o papa Francisco criou uma celebração para santa Maria Madalena, declarando 22 de julho o seu dia. Ela foi descrita como “um exemplo de verdadeira e autêntica evangelizadora”, que anunciou “a boa notícia da ressurreição do Senhor”.

Maria Madalena é um retrato autêntico e humanístico de uma das figuras espirituais mais enigmáticas e incompreendidas da história. A cinebiografia biblíca conta a história de Maria (Rooney Mara), uma jovem em busca de uma nova maneira de viver. Contrariada pelas hierarquias, Maria desafia sua família tradicional para se juntar a um novo movimento social liderado pelo carismático Jesus de Nazaré (Joaquin Phoenix). Ela logo encontra um lugar para si mesma… dentro do movimento e o cerne de uma jornada que levará a Jerusalém.

O filme é todo retratado do ponto de vista de Maria e nos leva a entender seu ponto de vista sobre os acontecimentos que todos já conhecemos. “Ela passou séculos sendo retratada como prostituta, pelo cinema e pela arte em geral. Em pinturas usavam as cores amarela e verde para simbolizar a vulgaridade dela. Então, filmes que tentam resgatar a imagem de Maria Madalena têm muita relevância no sentido de mudar a cabeça das pessoas”, analisa Lidice Meyer Pinto Ribeiro, professora de antropologia do Mackenzie.

Segundo historiadores e especialistas em religião, a figura de Maria Madalena, ainda nos dias de hoje, é julgada e sofre com preconceito, por conta de tudo o que sempre foi dito a respeito de sua vida. Nem mesmo a consideração do papa Francisco, em 2016, que a reconheceu como grande evangelizadora, foi capaz de melhorar sua imagem entre os católicos.

Em vídeo inédito, Rooney Mara fala sobre o apoio que recebeu de Garth Davis, diretor com quem já havia trabalhado em ‘Lion – Uma Jornada para Casa’, para a criação da personagem. “Ele tem uma habilidade e um dom únicos que tornam o processo empolgante e extremamente verdadeiro”, diz a atriz