O diretor James Gunn foi demitido de Guardiões da Galáxia Vol. 3. A notícia veio logo após a republicação de diversos tweets ofensivos do diretor, com referências a pedofilia e estupro, publicados originalmente de 2008 a 2011.

O diretor da Walt Disney StudiosAlan Horn, se pronunciou sobre o afastamento de Gunn: “As atitudes e declarações ofensivas descobertas no Twitter de James são indefensáveis e inconsistentes com nossos valores, e danificaram nossa relação com ele”.

Algumas mensagens antigas incluem piadas ofensivas com temas de sexo oral com crianças ou estupro, fazendo referências a grupos de pedofilia.

Depois das acusações, Gunn publicou uma série de mensagens no Twitter pedindo desculpas:

“Muitas pessoas que seguiram minha carreira sabem como eu comeceu. Eu me via como um provocador, fazendo filmes e contando piadas que eram escandalosas e tabu. Como eu disse publicamente muitas vezes, na medida em que eu desenvolvi como pessoa, meu trabalho e meu humor também desenvolveram. 

Não posso dizer que sou melhor, mas sou muito diferente do que eu era há alguns anos. Hoje eu tento enraizar meu trabalho mais no amor e na conexão do que em raiva. A época em que eu falava coisas só para chocar e ver as reações acabou. 

No passado, eu me desculpei pelo meu humor que ofendeu pessoas. Eu me sinto arrependido e realmente quis dizer tudo que disse nas minhas desculpas. 

Para deixar registrado, quando eu fiz estas piadas, eu não estava fazendo isso. Eu sei que é uma declaração estranha e que pode parecer óbvia, mas estou aqui dizendo isso. 

Esta é a verdade completa: eu costumava fazer piadas ofensivas. Eu não faço mais. Eu não culpo meu passado por isso, mas me sinto mais humano e mais criativo hoje. Amo vocês todos”. 

James Gunn foi responsável pelo roteiro e direção dos dois longas de Guardiões da Galáxia.

A Marvel Studios ainda não se pronunciou sobre as alterações na produção de Guardiões da Galáxia Vol. 3, que deveria iniciar filmagens no fim do ano. O longa tem previsão de lançamento em 2020.