Depois de um período de quinze meses na prisão e oito anos vivendo na clandestinidade por conta do seu envolvimento com os círculos marxistas da época, Nise da Silveira (Gloria Pires) retorna ao trabalho no Hospital Psiquiátrico Pedro II. A cena que presencia durante a sua primeira reunião com seus colegas vai marcá-la e inspirar sua revolução no tratamento de pacientes utilizando terapias mais humanas e sem violência. O primeiro clipe divulgado do filme “Nise – O Coração da Loucura” mostra uma sessão de eletroconvulsoterapia aplicada em Fernando, interpretado por Fabrício Boliveira, e a indignação da psiquiatra ao testemunhar a agressão sofrida pelo paciente. Na época, o eletrochoque era um dos métodos mais usados nos manicômios brasileiros e aceito pela classe médica, mas Nise sempre se recusou a apertar o botão.

Dirigido por Roberto Berliner, “Nise – O Coração da Loucura” chega aos cinemas brasileiros em 21 de abril.

O longa foi filmado durante dois meses no Instituto Nise da Silveira no Engenho de Dentro, local onde ficava o Hospital Psiquiátrico Pedro II e retrata o início do trabalho da doutora com seus “clientes” através da arte e do afeto. “Nise – O Coração da Loucura” explora a revolução realizada por Nise que ecoou pelo resto do país, abolindo tratamentos violentos e destrutivos, como a lobotomia e o eletrochoque. Nise da Silveira foi pioneira no uso da terapia ocupacional através de um ateliê de pintura e um tratamento baseado no afeto e no convívio com animais domésticos, métodos revolucionários que são referência até hoje.

Produzido pela TvZero, coproduzido pelo canal GNT e distribuído pela Imagem Filmes, “Nise – O Coração da Loucura” já recebeu diversos prêmios, incluindo Melhor Filme e Melhor Atriz pelo Júri Oficial do Festival de Tóquio 2015, e Melhor Filme pelo Júri Popular do Festival do Rio 2015.