Neste último domingo (26) rolou em Curitiba um tributo a banda Charlie Brown Jr., conseguimos uma entrevista com os músicos que fizeram parte do tributo pra contar todos os detalhes do show para vocês:

Como foi o primeiro contato de vocês com a banda Charlie Brown Jr.?

Décio (banda Test Drive): Eu na verdade foi como fã, pra ser sincero, eu montei minha primeira banda por causa de um CD de Charlie Brown Jr. que eu escutei e gostei e comecei a curtir rock.

Bruno Graveto (ex-baterista de Charlie Brown Jr. e atual baterista da banda Strike): Eu moro em Santos, então eu cresci vendo os caras desde antes da banda, vi eles ensaiando também, eles sempre tiveram uma cena muito grande em Santos, a galera já tinha um respeito e gostava deles, aí quando eles lançaram o primeiro CD ganharam a galera de verdade, eu não só por ser de Santos, mas também virei fã como milhares de pessoas e pude ver o trabalho deles de perto, até que tive a oportunidade de tocar com eles durante seis anos.

Vinicius (Banda Socialite): Quando eu tinha sete anos de idade, na abertura da malhação, escuto desde então.

Qual a história de vocês no ramo da música?

Décio: Então, como eu falei, Charlie Brown Jr. teve influência grande, montei minha primeira banda com meninos da minha cidade que tinham também o sonho de ter uma banda e ser nacionalmente conhecidos, e aos poucos fui conhecendo pessoas e outras bandas. Começou assim, uma brincadeira que continua brincadeira só que mais responsável.

Bruno Graveto: Lá em Santos tinha uma molecada na minha rua que tinha uma banda de garagem, e eu batia uma bola lá na frente, éramos amigos, e eles sempre tocavam tudo o que eu gostava na época, “Green Day”, “Metallica”, “Raimundos” e diversas outras bandas, vendo eles tocar me deu vontade de aprender a bateria que era o que mais me intrigava. Aí todo final de ensaio deles eu sentava lá na bateria e vi que era o que eu mais queria. Daí pra frente eu comecei a estudar e estamos aí.

De quem foi a ideia do tributo?

Vinicius: A ideia foi minha, cara. Eu já estava pensando nisso há algum tempo, eu já tinha também contato com esses músicos, trocávamos ideia. Conheci o Graveto em um show da banda Strike que minha banda abriu, aí resolvi mandar uma mensagem e ele topou, aí já falei com o Rafael Miranda que é produtor e ele já começou a fazer as correrias e quando vi já estávamos aqui.

Bruno Graveto: Foi bem assim mesmo, véio. Ele me mandou uma mensagem, e já nos conhecíamos desde o show do Strike que foi quando tivemos uma proximidade maior, aí ele explicou toda a parada e eu pensei “quer saber, cara, acho interessante essa ideia” Aí quando falei isso a galera já se movimentou, já chamei os cara e tamo aí tudo montado e já já vamos tocar.

Qual foi a sensação que sentiram quando foram convidados a participar do tributo?

Décio: Ah, pra mim foi uma honra né, tipo, eu já conheço o Graveto e toquei com ele algumas vezes, e assim, fiquei muito feliz, porque como eu disse, a minha inspiração pra ser músico foi com Charlie Brown Jr., e poder representar a banda com um dos ex integrantes, pô, é uma honra pra gente que é músico, está sendo uma realização muito grande. Eu, pessoalmente, fiquei muito feliz, não conhecia todos os músicos que iriam tocar mas sabia que todos tem uma bagagem muito legal no cenário do rock.

Vinicius: Na verdade eu nem acreditei, tocar no palco com a banda Strike já foi demais, aí um tempo depois pensei “vou falar com o cara”, daí quando ele respondeu eu não quis acreditar, na real, ainda não estou acreditando e só vou conseguir absorver isso depois do show.

IMG_3606