Taron Egerton é um daqueles atores que chamam sua atenção deste o primeiro momento em que aparece na tela. Em 2015 ele foi revelado ‘ao mundo’ através do filme Kingsman – O Serviço Secreto, onde estrelou como Eggsy. E com uma performance excelente era de se esperar que retornasse para um segundo filme da franquia, dito e feito, em 2017 ele reprisou o papel do charmoso agente secreto em Kingsman – O Círculo Dourado.

Neste meio tempo ele atuou ao lado de Hugh Jackman na cinebiografia Voando Alto, de 2016; neste ele tinha um desafio maior: interpretar um personagem inspirado em alguém do mundo real.

Taron tem 27 anos e está em ascensão, sendo o tipo de ator que encara de tudo, mas com moderação. Ele tirou um tempinho para bater um papo com nossa equipe sobre seus projetos. “Quero me divertir” revela ele, “Eu não estou interessado em ser um ator sério porque acho que é chato, e acho que temos muitos deles. Então eu gosto de fazer coisas que tenham senso de humor, e coisas que não necessariamente se levam muito a sério. Mas também estou ansioso para explorar o lado negro da vida um pouco.”

Se tornando cada vez mais requisitado na industria ele voltará as telonas este ano em mais uma super produção, onde viverá Robin Hood. E uma curiosidade, o estúdio responsável pela produção apostou tudo em Taron tanto que chegou a adiar as filmagens por um ano para esperar o ator terminar seus compromissos com a FOX por conta do filme Kingsman – O Circulo Dourado.

“O legal do meu trabalho é a diversidade e a variedade – e, se você tiver sorte, tem liberdade para fazer coisas diferentes. Eu não gosto de pensar ‘quadrado’. Gosto de desafios.”

E sobre as oportunidades que surgem ele revelou ser cauteloso: “Não gosto de apelar. Eu tenho isso de que se estou fazendo algo sem proposito e integridade criativa já pulo fora. Eu não estou interessado em ir e fazer uma grande brincadeira de ação e aventura sem nada a dizer sobre ser/agir como um ser humano. Considerando que Kingsman se tornou uma coisa bastante lucrativa e também é um grande filme, de várias maneiras; ele desafia os parâmetros dentro dos quais aqueles filmes comerciais de grande orçamento operam normalmente.”

E explorando ainda mais o seu talento como artista ele provou que pode fazer o papel que quiser, se o fizer com dedicação. Em 2016 ele emprestou sua voz a um personagem da animação Sing – Quem Canta seus Males Espanta, sobre animais que querem vencer um concurso de música e precisam provar em uma audição que realmente sabem cantar.

“Eu já cantei antes. Quero dizer, em musicais menores, tipo na escola, mas acho que foi na escola de teatro que eu tive certeza que poderia explorar mais essa parte, alguém me disse: ‘Sabe, você pode cantar’. E eu pensei, ‘Tudo bem, eu posso cantar!’ Essa foi a primeira vez que me lembro de pensar sobre isso. Então, quando eu estava no meu terceiro ano, consegui um papel super importante em um musical, o protagonista.”

“Eu não fui para a escola de teatro para ser um artista musical”, diz ele. “Eu gostei, mas não fui fazer isso; Eu fui ser ator. Então eu me senti um pouco… não enganado, mas um pouco ofendido quando percebi que minha grande chance estava em musicais. Dito isso, fiquei desesperado para fazer um musical e desde então procurava por um. E eu achei. E não só é um musical como é o mais legal de todos os tempo. Ainda não posso falar muito sobre isso, desculpe.”

Ele vai interpretar ninguém menos que Elton John nos cinemas no filme Rocketman, e ele vai cantar e dançar muito, inclusive já começou a gravar algumas músicas na famosa Abbey Road Studios.

Por dentro do novo ‘Robin Hood’ do cinema

Carismático e divertido Taron Egerton é um nome para lembrar. Você verá muito ele nos próximos anos.

E pra finalizar ele avisa: “Me aguarde, estou voltando aos cinemas logo logo, estou em ‘Billionaire Boys Club’ onde interpreto o personagem mais ‘chato’ que fiz até agora. O que é legal, todos nós somos chatos as vezes. Ah posso dizer também que serei Robin Hood, bom acho que já posso dizer isso, eu acho.”