Publicado em território nacional pela editora Pandorga, o primeiro livro da série “Um coração entre dois mundos” entrou na lista das minhas dez leituras favoritas de 2015. A jovem escritora Camille Storch começou a escrever a trilogia quando tinha apenas 16 anos. Hoje com 21 a paulistana sonha no dia em que suas obras serão mais conhecidas.
Confira um bate-papo exclusivo com ela:

Equipe Tommo: Como amante de livros e séries longas, dos quais os autores e roteiristas são dotados de uma intensa imaginação, fico imaginando de onde surge tanta criatividade. Como é o processo de desenvolvimento do livro e como você sabe que vai atingir o público alvo, prendendo os leitores com a história?

Camille Storch: O processo de desenvolvimento é o mais divertido. Primeiro, para mim, é mais fácil criar uma história na minha cabeça – às vezes eu assisto a um filme, vídeo de música, leio um livro, ou até mesmo vejo uma capa de revista passando por uma banca e imagino uma história e repentinamente, elas vêm sem aviso na minha mente. O segundo passo basicamente é colocar no papel, claro que fica mais difícil colocar a ideia no papel, mas aí é que as coisas ficam interessantes, porque às vezes eu penso de determinada maneira e acabo escrevendo de uma maneira que nem eu mesma esperava; afinal, a história pede por uma coisa diferente do que eu estava imaginando.
E por último, e se eu achar necessário, eu converso com alguns amigos próximos e principalmente minha família sobre o livro, para saber se o rumo da história está indo bem. Já saber se eu vou atingir o público alvo e prender os leitores nas minhas histórias eu não sei, nunca vou saber por antecipação. Toda história, seja ela de livros, filmes, séries e novelas, são histórias para prender o público e agradar o público de determinada faixa etária, mas ninguém sabe exatamente o que prende a atenção de outras pessoas, afinal cada pessoa é única. Saber como prender a atenção do público alvo seria o mesmo que conhecer todos, e isso não dá para fazer, então acabo me concentrado em uma história que eu gostaria de ler ou até mesmo ver em filmes ou animes (principalmente animes, sou viciada XP) e escrevo, na esperança de todos, quando lerem terem o mesmo prazer, as mesmas emoção e viajar para outro mundo, como eu fiz quando escrevi! Camille Storch

Equipe Tommo: Mel é uma personagem muito jovem e inexperiente, mas que durante o desenvolvimento da historia ela se descobre e por mais insignificante que ela achava que fosse, acabou descobrindo que sem ela a humanidade não teria um bom fim. Você tentou passar alguma mensagem por meio dessa personagem para pessoas que não acreditam em si mesmo?

Camille Storch: Não foi uma mensagem exatamente. Na época em que escrevi o livro, eu estava em uma fase ruim de minha vida e sempre me imaginava voando para longe, para outro mundo, onde eu teria um objetivo claro, algo grandioso a ser feito, então a mensagem não seria para as pessoas que não acreditam em si, mas para todas as pessoas, para que quando acharem um objetivo seja qual for, para irem atrás dele. Acredito que quando você tem um objetivo no qual você realmente acredita – que talvez seja apenas importante para você, e que pode te ajudar a transformar a si mesmo, sempre para melhor, isso é uma forma de ter autoconfiança. Para mim, ter um objetivo é o mesmo que acreditar em você mesmo, porque se você acredita no objetivo, você tem que acreditar em você para realizá-lo. Então, acho que no final acabei mandando uma mensagem de que todas as pessoas tem que acreditar em si mesmas, porque se não for por você, sua vida não irá mudar sozinha.

Equipe Tommo: Sobre o romance entre Melanie e Sam, trazendo esse amor para a vida real em suas devidas proporções, você acredita que o amor pode mudar as pessoas ou isso apenas faz parte de um ideal utópico?

Camille Storch: Eu acredito que o amor possa mudar as pessoas, mas não como vemos em filmes ou livros de romance, ai eu já acho impossível. Ninguém que é egoísta, por exemplo, vai deixar de ser egoísta. O que eu quero dizer é que ninguém vai mudar suas características pessoais por outra, isso é impossível, afinal é sua própria natureza, mas eu acredito que algumas características podem se amplificar por amor, sejam negativas ou positivas.  Mas depende de cada um querer mudar, não é outra pessoa que vai mudar o comportamento de um terceiro.

Equipe Tommo: Os próximos livros já estão prontos, mas ainda não tem previsão de lançamento. Tem alguma coisa que você pode adiantar sobre o intermédio e o fim da série?

Camille Storch: Bom o que eu poderia dizer para não parecer clichê e não revelar nada da história? Falar que tem mais emoções e mais aventuras, seria clichê demais, principalmente em livros de aventura, fantasia e romance, como o meu, então eu não vou dizer nada, quero que os leitores anseiem ainda mais para as continuações. Apenas vou dizer para esperar o inesperado.

CamilleEquipe Tommo: Várias trilogias de livros destinados ao publico jovem estão sendo adaptadas para o cinema, você consegue imaginar a sua série adaptada para as telonas?

Camille Storch: Não posso mentir que isso já passou pela minha cabeça, mas por enquanto é apenas um sonho. Isso seria maravilhoso, afinal quando eu escrevo eu imagino cada cena do livro como se fosse um pequeno filme em minha cabeça. Porém imaginar que isso possa ser mais que um sonho, isso nunca me ocorreu.


Bate Bola: (Responda em apenas uma palavra)
Uma Musica: So What – Three Days Grace
Um Filme: Harry Potter (TODOS)
Um Livro: À Procura de Audrey – Sophie Kinsella
Comida favorita: Japonesa
Uma Frase: Dar sempre o seu melhor no que você se propor a fazer
Um sonho: Viajar para o Japão
Um medo: Decepcionar as pessoas que amo
Uma esperança: Que meus livros farão sucesso


Sobre o Livro

O beijo da vida” é o primeiro livro da série e foi lançado no ultimo semestre de 2015.

A série passa em torno da jovem Mel, uma garota londrina que é obrigada a mudar de continente por causa do novo emprego do pai.

Inconformada com a sua nova moradia, ela não pretende facilitar a relação com sua familia antes e depois de sua chegada ao novo lar em São Paulo.

No seu primeiro dia de aula em uma das cidades mais violentas da América Latina, Mel é sequestrada! Na cebeça da garota tudo não se passava de uma engano, mas com o passar dos dias em seu cativeiro e com a aproximação amorosa de seu capturador (Sam) ela consegue encaixar algumas peças e entender um pouco sobre o seu destino.

As perguntas sempre eram repetidas, mas Sam só falava que o seu mestre que a queria. Para ela nada fazia sentido até o dia em que foi levada á outra “dimensão” e lá conheceu seres divinos e horrendos também. No entanto ela descobre que é a chave para acabar com todas as atrocidades que acontecem diariamente na terra, mas que para isso ela teria que dar a sua própia vida para restabelecer a aliança dos humanos com o criador.

Os outros dois livros da série já estão prontos mas não tem previsão de estréia.

Onde encontrar: Saraiva, Cultura e Amazon