O YouTube removeu sem explicação o trailer e canal do YouTube da PureFlix em Outubro no ano passado por conta do trailer do filme “I’m Not Ashamed”, um filme de temática cristã baseada na vida de Rachel Joy Scott, a primeira vítima morta em 1999 no tiroteio de Columbine, e segundo a PureFlix o trailer não tinha conteúdo inapropriado ou ofensivo.

De acordo com o Hollywood Reporter, os criadores de “I’m Not Ahsamed” questionaram se o ato do YouTube foi um exemplo de viés anti-cristã, além disso o YouTube não só ignorou seus pedidos para colocar o trailer e canal de back-up de volta ao ar, como também para dar uma explicação do por quê.

Agora depois de um ano, o trailer reapareceu na rede, aparentemente aconteceu após o Hollywood Reporter ter contactado o YouTube e questionado sobre o ocorrido. Na quinta-feira, o YouTube lançou a seguinte declaração:

“Com o enorme volume de vídeos na nossa plataforma, às vezes nós fazemos a chamada errada no conteúdo que é apanhado pela nossa comunidade. Quando isso é trazido à nossa atenção, revertemos a situação e tomamos as medidas adequadas, incluindo a restauração de vídeos ou canais que foram removidos por engano”.

A produção do longa têm procurado a ajuda de advogados de Massey, Stotser & Nichols no Alabama, e, de acordo com o Hollywood Reporter, estão buscando “compensação por 11 meses de marketing on-line perdido para o filme.” e estão com um processo aberto contra o YouTube.

O produtor do filme, Chuck Howard, e os cineastas têm especulado que a suspensão do trailer e canal pode ter a ver com o site change.org onde mais de 1.868 pessoas assinaram uma petição que indica (divulga) o trailer, e isso pode ter sido interpretado como “evocar uma sensação de glorificação e entretenimento” para o tiroteio de Columbine.

No entanto, Howard afirma: “Nós não queremos exaltar os assassinos. Nós basicamente retratamos tudo do jeito que aconteceu.” Howard também acrescentou: “O YouTube é um monopólio da informação que controla o que as pessoas vêem. Isto é ridículo.”

O filme estava previsto para ser lançado em Abril deste ano, mas por conta do acontecimento com o YouTube a Pureflix adiou e alterou a data para este mês, Outubro dia 21 nos Estados Unidos.