Sem duvidas Christopher Nolan é um dos cineastas mais ambiciosos da atualidade, o que faz dele um dos melhores dos últimos anos. Ele dirigiu o reboot de Batman em 2005. A Origem, Interestelar também são dele.

E hoje chega aos cinemas Dunkirk, um filme que inova o gênero de guerra e consegue se firmar como um dos maiores lançamentos de 2017, isso, se não for o maior.

Dunkirk é um filme baseado em fatos, e isso talvez tenha feito Nolan se dedicar mais aos detalhes e história, do que em criatividade, já que em todos os seus filmes anteriores ele sempre voltou sua atenção a universos distópicos.

Voltando ao filme, a cidade portuária francesa foi palco de um dos acontecimentos mais históricos da Segunda Guerra Mundial – o resgate de 300 mil soldados britânicos e franceses, encurralados por tropas alemãs.

A história acontece em três momentos (e lugares) diferentes: terra (cuja narrativa dura uma semana), mar (um dia) e ar (uma hora). E em algum momento do longa, os três momentos se cruzam fazendo com o que o filme ganhe um ritmo ainda mais tenso.

A preocupação de Nolan em nos fazer sentir a angustia dos soldados ficou claro desde o inicio, nos apresentando personagens bem construídos e humanos. Uma das surpresas do filme ficou a cargo de Harry Styles, ex-membro da One Direction, o cantor -e agora ator- ficou encarregado de ser a essência da história que se passa em terra e conseguiu ser o elo entre nossos sentimentos e emoções pela história.

A sequencia de acontecimentos e narrativa do filme de forma bem conduzida fazem de Dunkirk um filme maravilhoso e surpreendente. E além disso nos apresenta cenas grandiosas e de tirar o folego.

Christopher Nolan conta em Durkink uma história real, emocionante e tensa que se passou durante a segunda guerra mundial. O filme está em cartaz e grande parte foi filmada em IMAX e vale a pena pagar para ver na grande tela.

E podem anotar, com certeza vamos ouvir Dunkirk no Oscar.