Angry Birds – O Filme tem a missão de adaptar um bem sucedido jogo para mobiles para as telonas de cinema. O longa é dirigido por Clay Kaitis e Fergal Reilly e traz a história de Red (Marcelo Adnet), um pássaro emburrado, com protuberantes sobrancelhas, habitante de uma ilha paradisíaca na qual toda a população é composta por pássaros que pregam a alegria e a felicidade dentro da comunidade. E por esse forte temperamento ele acaba sendo excluído da sociedade.

Após uma situação devido ao seu mau humor, Red é advertido a fazer um tratamento da raiva, nesse espaço ele conhece Chuck (Fábio Porchat), Bomba (Mauro Ramos), Mafalda (Dani Calabresa) e o gigante e tímido Terence. Todos esses personagens tem suas divertidas personalidades utilizadas para dar evolução ao roteiro, o que foi uma inteligente ferramenta utilizada pelos diretores. Depois de alguns minutos durante a sessão fomos apresentados aos antagonistas do filme, os porcos verdes, que chegam á ilha dos pássaros dizendo ser amigos, mas Red e seus companheiros logo percebem que a intenção dos supostos amigos suínos não são boas e sim roubar os ovos dos pássaros para se alimentarem. Dessa maneira seguindo a história do jogo que o derivou.

O roteiro observado durante o longa é simplista e tem uma estrutura bastante tradicional, mas a trama é tão bem executada que apesar de ser uma animação voltada ao público infantil, ela também diverte o público adulto tranquilamente. Trazendo referencias a X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido, dos produtores de música eletrônica ´´Daft Punk´´ e até ao filme O Iluminado, de Stanley Kubrick, os cinéfilos irão se surpreender. Além de todos esses fatores a narrativa ainda faz críticas á sociedade e pessoas excluídas por ela, e ressalta a amizade, mostrando não ser apenas uma animação infantil.

Mas Angry Birds – O Filme sofre de alguns problemas, sendo originalmente feito para o público infantil, existe uma quantidade significativa de piadas e cenas exageradas. Durante a trama nos é apresentado o Mega Águia, personagem que tem uma importância e semelhante atuação ao do personagem Big Z, um dos pinguins de ´´Ta Dando Onda´´, mas diferente da figura do filme de 2007, Mega Águia não funciona, pois a história não sofreria nenhuma interferência se o personagem não estivesse inserido no filme, é de fato mau utilizado e infelizmente desnecessário para o enredo. O 3D é parcialmente utilizado, seguramente é possível assisti-lo em 2D.

A dublagem é realmente bem feita, Marcelo Adnet, Fábio Porchat e o time de dubladores estão de parabéns pelo trabalho feito.  Angry Birds convence e conseguiu trazer elementos interessantes do game para o cinema, mantendo sua personalidade. É uma animação muito bem feita e vale o ingresso, pode ser assistido tranquilamente por um público de qualquer faixa etária.

A Sony Pictures apresenta ´´Angry Birds – O Filme´´  que estreia dia 12 de Maio nos cinemas.

Confira o trailer abaixo: