Foto: Marcus Vinicius

Anavitória, o duo que saiu dos confins de Araguaína-TO a pouco mais de um ano e atingiu os corações de todo o Brasil. O nome vêm da união dos nomes das duas, Ana Clara Caetano Costa e Vitória Falcão, simples e bonito.

Com um estilo de música denominado “Pop Rural”, elas encantam com todo o seu talento, simpatia e letras que tocam o coração. Todo esse sucesso aconteceu porque as meninas, gravaram um vídeo cover de uma música do cantor Tiago Iorc, chamada “Um dia após o outro” e enviaram para o cantor, só pra saber o que ele achava, sem pretensão nenhuma. Mas ele, com o olhar de músico pôde notar que elas tinham algo diferente.

Logo entrou em contato com a dupla para marcar a gravação de um EP, com 4 músicas que logo tomaram conta das redes sociais. O EP conta com duas músicas autorais e dois covers. “Cores”, da Lorena Chaves. E “Tentendender” da banda Pouca Vogal, do vocalista Humberto Gessinger.

A pouco mais de um mês elas lançaram o seu primeiro CD, contando com 11 singles.
Um álbum lindo, de uma simplicidade e poesias únicas!  Logo que lançaram o CD, elas começaram sua turnê de lançamento, e nós estivemos presentes no show que aconteceu em Curitiba, no teatro Eva Hertz.

Preciso começar contando pra vocês sobre o local, que contava com apenas 97 lugares.
O motivo dessa escolha é por conta do estilo da dupla, que são muito simples e gostam de poder estar “juntim” com os “passarinhos” delas (forma carinhosa que elas chamam os seus fãs).

Logo que o show começou já era fácil de notar a qualidade musical, daquelas que você se sente ouvindo o CD ao vivo. A voz da Ana completava a da Vitória e vice-versa, era uma coisa linda de se ver. O instrumental, “comandado” pelo músico Jeff Pinas, estava impecável, acompanhando e levando a voz da dupla como correnteza que carrega um barco de papel.
A simpatia e a energia transmitida era algo realmente singular, de uma beleza incomparável.
A iluminação, manipulada por Mariana Martins (Produtora da dupla), foi um espetáculo a parte e tornou tudo muito mais bonito. Estava em sincronia perfeita com tudo o que estava acontecendo, intensificando ainda mais toda a música, poesia e beleza ali presente.

Por Marcus ViniciusFabrizzio Laroca